All posts by Devon Ortiz

Renda Cidadã ou Renda Brasil? Conheça o NOVO programa social do governo

Com o objetivo de fornecer um auxílio a população carente brasileira que vive na linha da pobreza ou extrema pobreza o governo federal disponibiliza uma renda extra aos cidadãos que se enquadram nessa situação de vulnerabilidade com o objetivo de amenizar a precariedade que estão expostos.

Esse auxílio até então é conhecido como Bolsa família, que disponibiliza de maneira direta o deposito de um valor considerável para as pessoas que estão inscrita no programa e se enquadram nos requisitos. O programa tem como objetivo garantir que famílias tenho o direito a alimentação e todos os outros direitos básicos de todos os cidadãos. No país o número de pessoas beneficiadas pelo bolsa família ultrapassa os 10 milhões e o recebimento é garantido através da Caixa Econômica Federal.

Com os mesmos objetivos proposto pelo Bolsa Família vem sendo criado o Renda cidadã ou Renda Brasil, que será um substituto ao programa já existente. Combater a pobreza e outras formas de privação das famílias são alguns dos pontos que esse novo programa coloca também como objetivo e assim vem sendo estudado com pequenos ajustes em comparação ao programa em vigor.

Com a divulgação da substituição do programa Bolsa Família inúmeros questionamentos aparecem diante aos beneficiários, como é o caso da grande dúvida: Como vai ser o Bolsa Família em 2021? E segundo o Governo Federal no próximo ano o programa vira com reajustes e bonificações extras para ajudar ainda mais todas as famílias que recebem o benefício.

O novo valor do Bolsa Família é uma dúvida de muitos, mas é preciso ficar atento ao calendário de pagamento e a todas as informações que o governo lança a respeito do programa social, inclusive sobre a mudança que está sendo analisada. O Renda cidadã sendo uma reformulação do Bolsa Família e lançamento do atual governo vem sendo estudado e propostas de rearranjos orçamentários vem sendo debatidas para assim promoverem a campanha e para que tenha o mesmo sucesso que o Bolsa família teve e tem mesmo com o passar de todos esses anos.

Diante disso, o governo em vigor vem lançando cada vez mais seus projetos e reformulações dos já existentes que possuem um ótimo funcionamento no país para continuarem auxiliando toda a população necessitada. O acompanhamento desses programas sociais do governo é de fundamental importância pois eles amparam direitos e deveres que devem ser cumpridos e a população deve se manter informada sobree tudo que diz respeito a eles, como valores, funcionamento e entre outros pontos acerca do assunto. Assim, manter a atenção e o interesse em questões publicas e sociais deve ser prioridade a todos os cidadãos, principalmente os beneficiários para garantirem seus direitos e conhecerem seu governo e o que ele faz pelos seus cidadãos.

Entenda as implicações entre Doria e Bolsonaro com a vacina para o Covid-19

A vacina contra o corona vírus para milhões de pessoas é a única solução possível para a cura e fim dessa pandemia. Devido a sua rápida transmissão, de pessoa para pessoa, por meio de gotículas respiratórias o vírus vem sendo amplamente difundido e causando a morte de milhões de pessoas e diariamente a infecção de milhares em todos os países.

Diante disso, pessoas que fazem parte do grupo de risco por apresentarem uma sensibilidade perante o vírus estão isoladas e não possuem nenhuma previsão para que suas vidas voltem ao normal. Com o início de pesquisas e o então desenvolvimento de algumas vacinas essas pessoas começaram a criar esperanças de em breve conseguir de volta sua liberdade de ir e vir com tranquilidade e sem riscos a sua saúde.

No meio de toda a crise provocada pela Covid-19 vários representantes políticos se pronunciaram e vem defendendo suas opiniões sobre a situação atual do Brasil e do mundo. O então presidente da república, Jair Bolsonaro, vem desde o início da propagação do vírus negando a doença e divulgando medicamentos como sendo uma das curas para a doença, medicamentos esses que já chegaram até a serem declarados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como ineficiente perante o vírus.

Com o avanço dos estudos da doença, as formulações das vacinas e suas divulgações expectativas foram criadas e com isso vários países começaram a manifestar seus interesses perante elas. O Brasil é um dos países que está participando diretamente desses estudos da produção das vacinas com a participação do Instituto Butantan.

China, Inglaterra e Rússia são os mais avançados quanto a produção de uma vacina e estão trabalhando arduamente para promover a vacinação da população. com isso vários representantes de diversos lugares são apoiadores das vacinas, como é o caso de João Doria, atual governados do estado de São Paulo.

Doria desde o início da pandemia vem prestando seu apoio a todas as famílias atingidas e aos centros de ciência que estão trabalhando a favor de pesquisas da doença e da produção das vacinas. Ele incentiva o isolamento social e todas as medidas de proteção caso as pessoas necessitem sair de suas residências.

Devido a ideais e recomendações diferentes Doria e Bolsonaro vem criando implicações entre si nesse período de pandemia. Um a favor do isolamento e o outro incentivando as pessoas a irem para rua e viverem suas vidas normalmente sem nenhum tipo de proteção propagando assim recomendações distorcidas perante a real situação.

Diante de tudo, tanto da pandemia quanto a única forma de cura através da vacina, Dória vem se mostrando consciente sendo a favor da compra e da vacinação obrigatória de todos os moradores do estado de São Paulo, enquanto o presidente não incentiva a compra da vacina e diz que a vacinação não deve ser obrigatória. Impasses como esses vem estremecendo o ambiente político do país e gerando inúmeros debates e questionamentos sobre quais recomendações seguir.

Realize o sonho da casa própria por meio desde programa habitacional

Todas as pessoas têm o sonho de conquistar sua casa própria e sair do aluguel garantindo a segurança e o conforto de um lar. Inúmeras são a dificuldades para a conquista desse objetivo, essas dificuldades vão de falta de condições para bancar a compra ate toda burocracia envolvida no processo.

Pensando na garantia de moradias para os cidadãos o governo começou a investir em programas que possibilitem a conquista de suas casas próprias com condições que se enquadram na realidade dos interessados e um auxílio extra que vem facilitando todo o processo. Um desses programas é o Casa Verde e Amarela, que é um programa habitacional que surgiu como atualização do programa Minha Casa Minha Vida que era ofertado pelo antigo governo.

Como funciona o Casa Verde e Amarela?

O Casa Verde e Amarela é um programa do governo federal que tem como objetivo auxiliar os cidadãos brasileiros a conquistarem sua casa própria de maneira mais simplificada e com condições especiais. O programa foi feito para a população que tivesse renda familiar reduzida, mas abrange pessoas que possuam renda mensal de ate sete mil reais, seu foco inicial também foi nas regiões Norte e Nordeste, mas o objetivo é expandir para todo o território brasileiro.

Sendo uma atualização do programa Minha Casa Minha Vida, feita em agosto de 2020, ele vem com algumas condições diferentes. Uma das principais atualizações é a divisão de apenas três faixas, o programa divide os interessados em três grupos de acordo com o valor da renda familiar. o grupo 1 é composto por pessoas com renda  bruta de até R$2.000, o segundo é composto por famílias com rende de R$2.000 ate R$4.000 e o terceiro e ultimo grupo é composto por pessoas com renda de R$4.000 até R$7.000.

Como participar do programa Casa Verde e Amarela?

Para participar do programa é necessário fazer parte de um dos grupos de repartição do mesmo. Com a correta classificação em um dos grupos é feito uma análise de todas as informações fornecidas e assim começa todo o processo para a conquista da casa própria. Condições especiais de parcelamento são feitas exclusivamente para cada grupo, influenciando no valor e no tempo de financiamento.

Os interessados em participarem do programa é necessário ficarem atentos a todas as novidades lançadas, como por exemplo sobre as inscrições Casa Verde e Amarela 2021 que disponibiliza todas as informações específicas do funcionamento e o que será necessário para se inscrever. E com isso, o sonho da casa própria vem se tornando uma conquista cada vez mais possível.

Desemprego diante da pandemia bate recorde no Brasil

O desemprego diante da pandemia bate recorde no Brasil, de acordo com os dados do IBGE, são 4,1 milhões de pessoas desempregadas. Você sabia que o número de pessoas procurando emprego, aumentou em 43%?! É preocupante!

O recorde de pessoas desempregadas aconteceu na penúltima semana do mês de Setembro, o total surpreendeu, são exatamente 4,1 milhões de desempregados. Os dados foram divulgados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, no dia 16 de Setembro.

A pandemia privou muitas pessoas de continuarem trabalhando, devido ao alto índice de contaminação e mortes. Essa foi a opção de muitas pessoas, mas houve casos em que ocorreram muitas demissões por segurança. Por isso, muitas pessoas deram entrada no seguro desemprego 2021.

Como muitas pessoas deixaram seus empregos por estar no grupo de risco, ou ter pessoas em casa nessa situação, muitas empresas pararam de funcionar. Porém, algumas empresas permaneceram na ativa com um quadro de colaboradores bem reduzido.

➤ Dados da pesquisa do IBGE sobre o desemprego na pandemia

Como a taxa de pessoas desempregadas ultrapassou de 10,5% para 14,4%, o IBGE mostrou detalhadamente como chegou a conclusão desse dado, o que preocupa muitas pessoas que necessitam do emprego para manter a sua qualidade de vida.

De acordo com a pesquisa, em meio a pandemia o setor trabalhista se comportou da seguinte maneira:

  • A região Nordeste do Brasil, apresentou a maior quantidade de pessoas desempregados, o aumento foi de 69%;
  • No Sudeste, a população desempregada está em torno de 45%, comparado ao resto do país;
  • A população ocupada manteve-se estável, durante a maior parte do período que a pesquisa ocorreu. O mesmo aconteceu com as pesquisas, durante a pandemia do COVID-19;
  • Os dados dos trabalhadores afastados, diante do COVID-19 caiu em 5 meses para 83,9%.

Saiba que a ordem de isolamento social para a proteção dos brasileiros, foi um dos pivôs pelo qual o mercado reagiu assim.

Diante dessa nova situação de emergência muitas empresas fecharam suas portas, outras necessárias reduziram a quantidade de colaboradores. Porém, diante dessa nova situação do país muitos microempreendedores surgiram.

O lado positivo foi que muitas pessoas para manterem se sustentando, criaram seu próprio negócio. O setor alimentício cresceu de forma surpreendente, o que de certa forma alimentou a economia que estava estagnada.

Sim! Existem muitas pessoas desempregadas no país, porém aos poucos as empresas estão contratando e voltando as suas atividades. Dessa vez com muita precaução, relacionado ao distanciamento e uso de máscaras, como também a utilização do álcool em gel.

43,5% das dívidas no setor de Educação são do Ensino Superior, mostra SPC Brasil

Com a economia fragilizada e alta na inflação brasileira o poder de compra dos consumidores caiu. De acordo com dados divulgados pelo Serviço de Proteção ao crédito (SPC), as dívidas no ensino superior da rede privada chegam a 43,5% e lideram em primeiro lugar em relação a dívidas e atrasos nos pagamentos. Os dados foram retirados do Indicador de Inadimplência na Educação, desenvolvido em parceria do SPC Brasil juntamente com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

Com o crescente número em relação a inadimplência é importante estar atento a questões como o aditamento FIES, para que desta forma, não perca seu contrato e acabe entrando na porcentagem de dividendos na rede Superior de Ensino. Para os estudantes que pretendem realizar o contrato de financiamento no próximo ano, confiram o calendário e fiquem atentos as datas referentes as  inscrições para o FIES em 2021.

Com relação as dividas no Ensino Superior foi possível constatar que os número são alarmantes, pois mostram que em comparação com a Rede Básica de Ensino os número são quase três vezes maiores. De acordo com Marcela Kawauti,
economista-chefe do SPC Brasil a diferença no número de dividendos quando comparadas as redes Básicas e Superiores de Ensino ocorre devido a concentração de famílias com maior poder aquisitivo nas escolas privadas do Ensino Fundamental e Médio, enquanto na rede Superior e privada o ingresso se tornou acessível para famílias de baixa renda.

Fatores como a pandemia ocasionada pelo novo corona vírus contribuíram para aumento do acumulo de dívidas e evasão dos alunos nas redes privadas do Ensino Superior. As universidades mantiveram os valores da mensalidade enquanto diversas famílias tiveram suas rendas reduzidas durante este período o que provocou insatisfação aos alunos e familiares.

Fatores como a alta no número de dividendos, somados a crise econômica e uma pandemia não são favoráveis para os estudantes e suas famílias, pois colaboram para uma continuidade e possível crescimento nos números relacionados a atrasos e dívidas no Ensino Superior.

Um possível cenário de melhora ocorreria com a negociação das dívidas juntamente com as instituições da rede privada, outro possível cenário é uma melhora nos números relacionados ao mercado de trabalho. Pois todos esses pontos levantados durante o artigo fazem com o poder de compra dos consumidores continue baixando. As instituições de Ensino Superior estão tratando os casos de forma isolada, pois nem todas as famílias tiveram danos econômico durante o presente ano.

Durante o primeiro semestre do ano teve uma queda no número de inadimplentes, mas no mês de abril os números voltaram a crescer. A procura por cursos EAD tem crescido devido as mensalidades mais baratas.

FIM da isenção do IPVA para deficientes? Entenda a proposta de Doria!

O governo do estado de São Paulo enviou recentemente um texto à Assembleia legislativa (Alesp) que tem como proposta uma série de medidas que busca efetivar um pacote de ajuste fiscal para o ano de 2021.

Entre as medidas propostas pela gestão do então governador João Doria (PSDB) que afeta diretamente o pagamento do IPVA em 2021 para pessoas com deficiência, estão a extinção de órgãos públicos e a redução de benefícios fiscais relacionados ao ICMS, por exemplo. Segundo o governo, relativo as pessoas com deficiência, o projeto de lei (PL) tem o intuito de unificar as alíquotas do imposto no valor de 4% para qualquer veículos que trafegue no estado e que será mantida a isenção do IPVA para as pessoas com deficiência.

A aprovação do projeto de lei  Nº 529 de 2020 enviado a Alesp trará alterações na lei estatual 13.296/08. No momento, esta lei, que trata diretamente da cobrança do IPVA, diz que pessoas com deficiência física, visual, mental severa ou profunda e autista que tenham a propriedade de um único veículo são isentas do pagamento do imposto desde que respeitem o teto máximo de R$ 70 mil no valor do veículo.

Porém, a nova proposta definida pelo atual governo de São Paulo retira do texto anterior a isenção para deficientes visuais e mentais. Permitindo na lista de isentos apenas os deficientes físicos severos ou profundos desde que possuam veículos adaptados. Essa situação tem preocupado muito gente, sobretudo com a proximidade do calendário do IPVA São Paulo.

Em 2019 o IPVA no estado de São Paulo gerou uma receita de R$ 17,4 bilhões aos cofres públicos simbolizando o segundo mais importante imposto do estado, ficando atrás apenas do imposto sobre Circulação de mercadorias e prestação de serviços (ICMS).

Com o ajuste fiscal sobre o IPVA o governo pretende arrecadar pouco mais de R$ 1 bilhão a mais do que em anos anteriores. Grupos de entidades ligadas ao seguimento das pessoas com deficiência afirmam que a proposta do governo de São Paulo é inconstitucional. Diversos seguimentos, como por exemplo, a Ordem dos advogados do Brasil do estado de São Paulo (OAB-SP) também se manifestaram contrários a tentativa da gestão do governo Doria.

Segunda a Secretaria da Fazenda e Planejamento do estado de São Paulo , do valor arrecadado pelo IPVA, 20% é destinado ao Funda de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação e os 80% restantes são divididos em duas partes. Metade ajuda a compor o orçamento anual do estado e a segunda metade e dividida entre os municípios de registro dos veículos.

Apesar do Projeto de Lei 529/2020 ter sido enviado em caráter de urgência ainda não teve sua conclusão pelos membros da Assembleia legislativa.

Os desafios da educação no Brasil no período pós-pandemia

A pandemia do coronavírus obrigou diversos setores da sociedade a passarem por grandes mudanças e isto não foi diferente com a educação.

Logo, os profissionais da área encontraram desafios grandes e que serão perpetuados mesmo no período pós-pandêmico. Confira abaixo:

Alta procura de programas educacionais

A crise econômica causada pelos problemas que vieram junto com a pandemia do coronavírus teve impacto mundial em muitos aspectos, um deles foi o educacional. E temos como um grande desafio, não só da educação, como do próprio governo a alta procura de programas educacionais, como é o caso do FIES em 2021.

Outros programas também estarão enfrentando um percentual de inscrição muito alto, como o Programa Universidade Para Todos (ProUni).

O Fies foi um dos programas que mais foi afetado pelo corte de verbos do Governo Bolsonaro e com a grande procura de financiamento do FIES pela Caixa, ambos os lados podem estar enfrentando situações complicadas.

Desvalorização dos profissionais da educação

O povo brasileiro não tem a cultura de valorização da educação e por isso, os profissionais da área já encontram diversos problemas de remuneração decente e reconhecimento social. Com a crise do coronavírus, quem atua na área pode esperar um cenário ainda mais desanimador.

Com muitos brasileiros desempregados, a educação passa para segundo plano e logo, espera-se que as instituições do ensino público acabem recebendo mais estudantes, sem nenhuma previsão de aumento para os professores e para a equipe pedagógica.

Adaptação da equipe pedagógica

Quando falamos da adaptação da equipe pedagógica, é importante ressaltar que não falamos somente do aspecto tecnológico, mas em como esta mesma equipe atuará para que o processo ensino-educação aconteça de maneira funcional.

Os professores, em sua maioria, encontram muitas barreiras para que o conhecimento seja mediado aos estudantes, principalmente aqueles mais novos.

Desigualdade social

Um outro problema evidente e que com certeza estará sendo um desafio para a educação no período pós-pandêmico é a desigualdade social. O acesso a internet não é igual para todos os estudantes e por isso, muitos foram prejudicados pelas aulas remotas, aderidas pelas instituições de ensino.

Mesmo no período pós-pandemia, muitas escolas preferiam seguir com o modo de ensino a distância até que a situação estivesse mais segura, o que continuou a evidenciar a desigualdade social nesses casos.

Para as outras instituições, o grande desafio é pensar na readaptação dos estudantes nas escolas, assim como na segurança e na recuperação de alunos que não conseguiram acompanhar no modo online.

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.079 para o próximo ano

Todo ano, o trabalhador brasileiro aguarda pelo cálculo do reajuste do salário mínimo e a revisão do valor para o próximo ano tem dado o que falar! Confira as informações a seguir e fique por dento do assunto:

O Governo divulgou, recentemente, que a média salarial mínima para o próximo ano deve ser de R$1,079, mas por que o reajuste foi mínimo? Será que o valor acrescentado foi menor que o do ano passado? Como o salário mínimo 2021 interfere na vida dos brasileiros? Vamos entender parte por parte!

O que é o salário mínimo?

O salário mínimo foi um benefício conquistado pelos trabalhadores brasileiros, que garante remuneração mínima para toda e qualquer função que seja exercida através da CLT. O recurso garante um cálculo base que visa garantir algumas das necessidades básicas do brasileiro.

Todo ano, o valor do salário mínimo é calculado de acordo com a economia do país, a inflação, entre outros pontos importantes.

Vale enfatizar que o salário mínimo é diferente do piso salarial, sendo este a base para de remuneração para cada profissão e possuindo diversos variantes.

Por que o valor é importante?

O salário mínimo é um cálculo importante para o brasileiro. Como mencionado, este valor garante acesso a condições mínimas de qualidade de vida para o trabalhador da CLT, mas também afeta em diversos setores.

Por exemplo, quando há alteração do salário mínimo, é comum que os preços de mercadorias básicas como o gás, o feijão e a carne também aumentem.

Além disso, o aumento do salário mínimo interfere em benefícios trabalhistas como o abono salarial, proporcionado pelo PIS, que pode chegar a até a uma remuneração base. Este cálculo interfere igualmente em programas sociais como o Bolsa Família.

Por que o reajuste foi menor que o do ano passado?

Em 2019, o valor do salário mínimo era equivalente a R$998,00 e passou para R$1.045,00, tendo um acréscimo de R$47. Já em 2020, o aumento previsto pelo Governo Federal foi de R$34, fazendo com que o salário mínimo chegasse a cifra de R$1.079.

Existem alguns fatores que influenciam no cálculo do salário mínimo, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior e a própria economia.

A crise do coronavírus em 2020 foi um dos fatores que aumentou o índice de desemprego e que desvalorizou alguns preços de mercado como imóveis e veículos. E por essa razão, o INPC e logo, o salário mínimo tiveram uma projeção menor que o do ano passado.

Comprou um carro ou moto durante a pandemia? Saiba quais os seus direitos!

Durante a pandemia, a aquisição de bens ficou mais acessível para algumas pessoas já que veículos e imóveis tiveram uma grande desvalorização.

Se você faz parte desse percentual que acabou comprando um carro ou uma moto durante esse período, este artigo foi feito para você!

Devido a pandemia, diversos órgãos responsáveis pela cobrança de taxas, dividas e impostos precisaram pensar em soluções práticas para evitar uma crise ainda maior para a economia e para o bolso dos brasileiros.

Inicialmente, esta proposta de solução para uma crise ainda mais drástica, era referente a gastos com catão de crédito e contas mensais, tais como água e luz. Mas, logo viu-se a necessidade de expandir a proposta para pagamento obrigatórios, ou seja, impostos.

No Brasil, ser proprietário de um veículo é igualmente estar sujeito a participar de contribuições anuais que pesam no bolso do brasileiro, como por exemplo, o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que é o imposto mais caro para quem possui veículo.

Além de ser um dos impostos mais caros, o IPVA sofre alterações de acordo com o estado de cobrança. O IPVA 2021 RJpor exemplo, representa 4% do valor original do veículo.

Pensando em evitar colapsos econômicos para ambas as partes, o Detran e o Governo Federal promoveram mudanças que vão beneficiar quem comprou um veículo durante a pandemia ou quem já precisava cumprir com impostos como o IPVA 2021 SP.

Essas medidas visam diminuir a obrigatoriedade do cumprimento com o s valores, assim como suspender cobranças e prorrogar prazos de pagamento. Para que fique evidente exatamente o que mudou e de que forma é possível se beneficiar dessas alterações, separamos os principais pontos:

  • Atualização da carteira de motorista

Devido a pandemia, logo, ao isolamento social a solicitação de documentos ficou mais difícil e por isso, a atualização da carteira de motorista está suspensa até segunda ordem.

  • Isenção IPVA

A isenção do IPVA não é uma regra para todo estado, mas é uma boa notícia para quem possui um veículo registrado no estado de São Paulo, região com o IPVA mais alto do país. Este ano, os proprietários de veículos não precisarão pagar o imposto.

  • Suspensão de cobrança do IPVA

Outros estados optaram pela suspensão da cobrança do IPVA para carros que possuem mais de 15 anos de uso. Alguns dos estados que aderiram a medida foram: Amapá, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rondônia, entre outros.

Você já fez o bem hoje? Pense um pouco a respeito disso

Vivemos na geração do “agora”, onde tudo é para ontem e muitas vezes, estamos inseridos em um modelo social que não nos permite olhar para o outro.

Por isso, é preciso sempre colocar um questionamento interno sobre fazer o bem.

Você sabia que praticar o bem pode ser uma atividade positiva até mesmo para você? De acordo com pesquisas, pessoas que praticam o bem convivem com sensações de bem-estar, auto-satisfação e consciência social, que são positivas para a saúde.

Além disso, boas notícias recuperam a fé na humanidadeo que é um benefício social e que pode ser muito mais significativo para quem recebe.

O que nos leva a questão religiosa, também muito presente quando falamos de praticar o bem, de boas ações e de caridade. Podemos dizer que quase todas as matrizes religiosas prezam por direcionamentos ligados à caridade e o amor ao seu semelhante.

Essas atitudes são benéficas até mesmo quando observamos por um macrovisão da sociedade, pois a prática do bem causa efeitos positivos em um escala dominó.

Vale mencionar que a internet tem sido uma verdadeira ferramente difusora das boas atitudes e possibilitado que mais pessoas possam defender causas, denunciar injustiças e ajudar o próximo.

Como você conferiu acima, a prática do bem traz benefícios em inúmeras escalas tanto para quem o prática, como quem o recebe e até mesmo quem o assiste. Portanto, que tal começar a fazer o bem? É importante estabelecer seus valores e entender quais as causas que são condizentes com eles.

Existem inúmeras formas de ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor, como acontecem nas ONGs, que defendem causas sociais e ecológicas, por exemplo.

Você também pode praticar o bem em uma micro-escala, afinal, não se trata de quem faz mais, e sim de quem faz algo para benefício alheio.

Fazer o bem nem sempre está relacionado com causas distantes ou pessoas desconhecidas. O próprio hábito de agir com honestidade, com gentileza e com bondade já podem ser a sua contribuição a respeito disso e um ponto de partida para a pessoa evoluída que você pode se tornar a amanhã.

Independente de como acontecerá a prática do bem, é importante trazê-la para nossa realidade. Pesquise o que você pode estar fazendo pelas pessoas mais próximas, busque formas de contribuir com o seu meio e faça o possível para que a bondade se torna algo comum na sua rotina.