Escolas temem que alunos do EJA abandonem as aulas após a pandemia

A pandemia de coronavírus evidenciou e intensificou muitos problemas sociais já existentes, como é o acaso da educação precária para alguns setores.

O EJA é um desses setores que, devido a recorrente situação de vulnerabilidade e pouca assistência pode estar perdendo muitos alunos inscritos. Veja tudo a seguir:

O Ensino para Jovens e Adultos é um programa voltado para aquele público que teve o processo de aprendizagem do ensino básico interrompido e precisou parar de estudar por qualquer razão.

O EJA funciona de forma semelhante com ensino básico, possuindo aulas presenciais noturnas, atividades e avaliações por semestre, mas tudo em um tempo reduzido e considerando situações nas quais o aluno ainda ão foi alfabetizado.

O programa já enfrenta diversos problemas como o baixo investimento por parte do Governo, a infraestrutura precária, o material mal distribuído, entre outros. A crise do coronavírus trouxe uma nova situação para EJA que é a impossibilidade de execução das aulas devido ao isolamento social.

Por isso, já é esperado um número menor de estudantes participando das matrículas escolares 2021principalmente na modalidade de ensino do EJA.

E se o cenário vindouro é preocupante, podemos classificar o cenário atual como caótico. De acordo om pesquisas não oficias, muitos estudantes estão pedindo para não ser aprovados para o próximo semestre, por não considerarem o aprendizado adquirido como suficiente.

Isto porque, a equipe pedagógica e os professores têm feito grandes esforços para que parte desses conteúdos seja passado online através de aplicativos e redes sociais. O que nos leva a uma outra situação, que é a heterogeneidade de oportunidades para estes estudantes, pois muitos não tem sequer acesso a internet wi-fi.

O percentual de alunos que preferem que os estudos sejam suspensos ou que esperam não ser aprovados para o próximo semestre é pequeno se comparado a quantidade de estudantes que não pretende continua no programa, por motivos variados.

Os professores tentam reverter esse cenário estimulando o ensino a distância, enviando vídeos, promovendo atividades via Whatsapp e mesmo com todos esses esforços, a previsão do EJA ainda tem preocupado especialistas da educação.

Muitos estudantes relatam que estavam aprendendo dentro do programa, assim como estavam tendo acesso a um conhecimento guiado, o que fica mais complicado quando pensamos em um modelo de ensino virtual.

A expectativa é que esse público possa voltar a procurar o programa e que ainda que esteja suscetível a diversos problemas sociais, possa manter o foco nos estudos.